Postagens Recentes

Surgimento da Hermineutica

É possível compreender que as ciências humanas é para Dilthey algo que se completa a partir das relações entre indivíduos, que se inicia de forma psíquica, logo ele nos apresenta uma diferenciação entre compreensão psicológica, e compreensão hermenêutica. Provocando desta forma toda uma consciência histórica, o homem passa a ser compreendido através de seu tempo histórico cultural. (memoria).p.12


A experiência humana interior não é suficiente para guiar uma determinada individualidade, esta experiência só se torna válida a partir de minha relação com o outro. P13 “O conhecimento humano não é uma dada aparição de sentidos”. Nesse sentido nossa interioridade só é suprida através das interações que mantemos de fato com os outros.


Sendo assim, compreender é um processo de capitação de sinais e códigos que são capitados através dos sentidos que se formam nas unidades psíquicas de cada individuo, e são exteriorizados através da linguagem que funcionara como uma decodificadora de signos. “O compreender se mostra de forma diversa sendo motivado pelo interesse de cada individuo p.14”.


Dilthey dá o exemplo de como se dá legalmente o processo de compreender citando o exemplo de como compreender o pintor Leonardo di Ser Piero da Vinci, “Se eu quero compreender Leonardo, então ao mesmo tempo age a interpretação de ações, pinturas, figuras e obras literárias isso num processo unitário homogêneo” p.14 percebe-se então que algo é compreendido quando todos os sentidos entram em ação de forma homogenia construindo uma interpretação que deve ser universal.


Destarte dizer que: o ser humano só é capaz de decodificar sua compreensão real através da linguagem interpretada e compreendida. Logo a arte da hermenêutica é fundamental para se compreender todas as significações humanas, p.15 interpretar é decodificar arte e artista, esta querela estive presente sempre na historia da humanidade fomentando assim o surgimento da hermenêutica. “Assim desde cedo se constitui a partir da arte da interpretar a apresentação de suas regras”p.16.


A hermenêutica surgi da necessidade de se compreender uma espécie de conhecimento universalmente válido, foi justamente na Grécia em um período que o mito já não supria mais as necessidades do homem Grego, nem tão pouco era capaz de trazer significações a vida na polis, no chamado período do “iluminismo Grego” pulsou a necessidade de se interpretar e conhecer mais profundamente os escritos de Hesíodo e Homero, despertando assim, um novo conflito linguístico que irão se articular entre a retorica, e a oratória. Aristóteles através de sua retorica ensina os meios para se decodificar o todo. p17


As experiências internas humanas formam à chamada causa pétrea do compreender, lançando assim uma grande possibilidade de se atingir um conhecimento universalmente válido, historicamente a hermenêutica condensou todos esses elementos, observa Dilthey: um “caráter regrado” no surgimento da hermenêutica ele percebe um filologia perene que precisa de certa forma se descortinar dessas amarras. A retorica e a oratória proposta por Aristóteles serão os caminhos possíveis para libertação deste regramento.


É possível dizer que a hermenêutica surgi de fato das tensões de um “compreender profundo e universalmente válido” a hermenêutica de agora em diante começa a propor regras de analise e compreensão, passou a ser um ciência investigativa que validava e invalidava escritos originais, a filologia agora é uma arte de dar valor literário as obras, o que estava agora em vigor era um conjunto de regras que visavam a amplitude e o “ rigor limguistico”p.18.


A filologia Alexandrina começou a receber grandes contribuições das diversas escolas filosóficas dando a ela mais rigor investigativo tornou-se necessária para interpretação dos textos sagrados tais como: vedas, Homero, Bíblia Sagrada e do Corão. As figuras de linguagem começam a ganhar espaços nas demais interpretações, a chamada escola Antioquena usava a base gramatical e histórica para justiçarem e validarem seus textos assim livros como cântico dos cânticos e Jó eram compreendidos.


A parir das tensões dessas escolas a hermenêutica fundamenta seus pressupostos de justificação, Orígenes e Agostinhos são os responsáveis por este inicio de fundamentação, como a nova visão e interpretação do período renascimento a hermenêutica ganha novos ares interpretativos, “ se distancia da antiguidade clássica e Cristão pela língua e pelas condições de vida e pela nacionalidade” p.21 tanto a filologia, quanto a hermenêutica, e critica precisaram se articular de forma mais rigorosa devido aos poucos resíduos que restaram da historia da humanidade, não podemos esquecer do incêndio da biblioteca de Alexandria.


Sendo assim, os textos bíblicos será parte crucial para analise hermenêutico, a busca consiste em encontra regras que forneçam um conhecimento “universalmente válido”p22 o caminho agora é refutar a obscuridade proposta pelas interpretação alheia aos textos sagrados entre anabatistas e católicos. Flacius tem por objetivo conduzir a ideia de uma conhecimento universalmente valido, dentro dos limites da retorica foi um grande avanço pois tanto para ele quanto para Melanchthon a formulação de cada escrito é confeccionada a partir de regras.


Os espaços linguísticos que foram deixados por esses dois pensadores foram resolvidos por Baugartem, e seus interpretes cada um dando sua contribuição de como se deveria ser interpretado o cânone sagrado. Partindo desse novo delineamento da hermenêutica teológica, Schleiermacher desenvolveu novos rumos da arte do interpretar, logo percebe que existe uma espécie de paralelismo na historia da hermenêutica desde sua saída do iluminismo grego, ao iluminismo europeu, ela estaria sempre presa a um conhecimento local e temporal, onde a visão religiosa era sempre o pano de fundo das interpretações hermenêuticas.


E sendo a religião uma criação da mente humana não seria capaz de explicar e decodificar a nossa existência, por exemplo. Depois de Schleiermacher rompem-se esse paralelismo hermenêutico, para Schleiermacher a hermenêutica só se torna eficaz se ela conseguir condensar elementos filosóficos no campo mental. A proposta é a utilização de uma filosofia transcendental que ultrapasse os limites da razão humana, chegando a construção de um mundo real, a proposta é elevar a Hermenêutica a um status de uma “hermenêutica cientifica” p26


Para Schleiermacher o que se buscava no passado era apenas uma forma de conhecimento universal mantendo sempre as bases particulares, um fazer lógico seguido de figuras de linguagem e ilustração. A proposta dele agora é justamente mergulhar na analise daquela ideia de compreender do passado. Compreender é para Schleiermacher interpretar o todo de uma obra é ir a fundo e penetrar no espirito do autor; Surgi agora novas formas para se acender a ideia de compreender uma determinada obra literária, o que esta em jogo agora é uma ação mental que embora seja inconsciente projeta toda uma realidade “conceder e moldar” p27 essas duas categorias são inseparáveis para Schleiermacher.


Schleiermacher retorna ao conceito de filosofia transcendental platônica, como veia educadora e problematizadora da hermenêutica proposta por ele, o que esta em jogo de fato é evidenciar caminhos que nos forneçam o entendimento do todo da obra. A antiga visão que se baseava em pressupostos históricos, gramaticais, estéticos tornou-se insuficiente para Schleiermacher. “ A hermenêutica deve fundamentar teoricamente a validade universal da interpretação- sobre a qual se baseia toda a certeza da historia”p32



Nossa Localização

O que achou do site?