Postagens Recentes

Colaboradores da AlmavivA denunciam a falta de reajuste do salário

Colaboradores da AlmavivA, em Aracaju, têm se manifestado através das mídias sociais clamando por providências dos órgãos competentes referente a problemas que têm enfrentado relacionados com as leis trabalhistas. No perfil @correioalmavivaaracaju, utilizado pelos funcionários para postarem dúvidas e reclamações, muitos se queixam de estar recebendo o salário sem reajuste, ou seja, o valor de R$ 954,00.



“Mais um mês e mais uma vez o salário-base de 2018 sendo pago em pleno setembro de 2019. Até quando nos colaboradores vamos ter que aceitar essa condição?”, diz uma das postagens. Há relatos dos funcionários que dizem terem acionado o Ministério do Trabalho, porém reclamam da resistência da empresa em descumprir a lei sem ser penalizada. “O Ministério não agiu, só faz notificação, se ele agisse de acordo com as denúncias e ela (a empresa) pagasse multa pelo que faz de errado, garanto que ela cumpriria, mais enquanto só chega notificações ela fica ai debochando da cara de quem dá lucros a ela”, desabafa uma funcionária.


Além do salário desatualizado, os funcionários denunciam que o pagamento dos feriados trabalhados está pendente, além de escalas de folgas que estão sendo mudadas em cima da hora, sem aviso prévio. Nos comentários é possível perceber a indignação dos funcionários que ao mesmo tempo se sentem de mãos atadas. “Um absurdo isso, não tem quem aguente mais. Trabalho escravo que fale né?”, reclama.


O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Telecomunicações (Sinttel/SE) informa que a data base da categoria é julho, e que o sindicato está em negociação com a AlmavivA. “Chegamos a um acordo com a empresa e foi pago o valor da diferença do salário mínimo em junho retroativo a janeiro. Estamos negociando, inclusive nossa presidente se reuniu semana passada em São Paulo com a empresa para tratar do reajuste e outras questões. Quando for firmado acordo será reajustado o valor do salário e pago os retroativos”, explica Roberto Delano Santos, vice-presidente do Sinttel/SE.


O representante do sindicato informa também que estão negociando o reajuste do plano de saúde, que a empresa começou a cobrar 0,5% a mais do valor que foi pactuado, e o pagamento do abono fidelidade, valor pago aos funcionários com mais de um ano de empresa, que está sendo pago a alguns colaboradores e a outros não.


MPT

O Ministério Público do Trabalho em Sergipe (MPT/SE) informa que cabe ao próprio MPT processar a empresa, e que existe uma Ação Civil Pública (ACP) em face da empresa AlmavivA, e que agora cabe ao poder judiciário adotar as medidas cabíveis.

Nossa Localização

O que achou do site?