GORDIVAS- Também Somos Empoderadas

January 10, 2020

‘sim, sou gorda’, ‘sou maravilhosa’ e ‘sim, eu existo’

Imagem o artista brasileiro Eduardo , especialista em desenhar garotas "plus size"

 

Por volta da década de 90, a obesidade começou a ser vista como algo não saudável e, por isso, um problema a ser tratado pela medicina e o corpo magro começou a ser reconhecido como sinônimo de beleza e saúde, o que começou a gerar um preconceito contra as pessoas gordas, principalmente mulheres.

A gordofobia tem sido um dos assuntos mais comentado e já virou trama de novelas, filmes...

O Objetivo desse artigo é identificar o preconceito que pessoas gordas sofrem na vida social, afetiva e profissional.

Para você entender melhor, vale explicar melhor sobre o tema...

 

 

 

É o preconceito e ódio contra pessoas gordas por conta de padrões estéticos impostos pela sociedade (que são magros). O medo irracional e exagerado de se tornar gordo, que também está associado à lipofobia, que é aversão à gordura, também é uma das características de quem é gordofóbico, segundo a psicóloga Lia Clerot. “Se você não se amar ou se aceitar, esse controle da sociedade irá destruir sua autoestima. O mais importante é trabalhar a autoconfiança. Quando você se compreende por inteiro, o pensamento do outro perde efeito” Completa á Lia Clerot.

Na atualidade em que vivemos em uma sociedade que incentiva o preconceito contra os donos desses corpos e um mundo pouco adaptado a corpos, o cotidiano traz desafios de diversas naturezas, dos mais simples aos mais complexos. Uma simples rotina de por exemplo: Comprar roupa, entre outras atividades pode ser emocionalmente uma experiência desgastante.

Veja esse exemplo:

“A gordofobia não acontece apenas por meio de xingamento ou piadas, ela se dá também quando seus direitos são negados por ser uma pessoa gorda. No começo do ano passado, tive dificuldades para entrar em um plano de saúde porque achavam que eu era doente ou queria fazer bariátrica”, diz Flávia Durante, de 41 anos, criadora do Pop Plus – feira de roupas e cultura plus-size em São Paulo.

 

Consequências...

 

Ser alvo de gordofobia faz com que, a pessoa internalize esse preconceito, culpando a si mesma pelo peso excessivo e pela discriminação social de que é vítima. Resultando em baixa autoestima, estresse e depressão, desta feita tendo aumento de hábitos alimentares ruins, tendo assim, dificuldade de manutenção do peso ou em emagrecer.

Afetando a capacidade dos obesos de emagrecer e se manterem assim, sendo explícita ou não, a gordofobia pode ser contraprodutiva. Estudos já feitos pela equipe de Rebecca M. Puhl, do Centro Rudd de Obesidade e Política Alimentar da Universidade de Connecticut, entre outros, concluíram que pessoas fora do peso que são vítimas de preconceito e conseguem emagrecer têm menos capacidade de se manter magras.

 

 

 

 

 

O que a Lei diz sobre isso...

 

Não existe uma lei que se refira exatamente à injúria contra pessoas gordas, mas isso pode ser enquadrado como crime contra a honra, caso a pessoa se sinta ofendida. O crime de injúria consta no art. 140 do Código Penal.

Existem idéias de Lei como 456/2019 Criminalizar atos de Gordofobia(preconceito contra obesos) como hediondos

Criminalizar atos de Gordofobia(preconceito contra obesos) Como Crime hediondo com pena estipulada de 6 meses a 4 anos de Reclusão e Multa de 1200,00 R$ sem direito a fiança.

 

 

 

Como Mudar Isso...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fazendo a sua parte!

Para acabar com a gordofobia é necessário mudar a nossa própria visão e pensamento sobre as pessoas gordas. Está na hora de muda essa visão de que a culpa é da pessoa, seja por comer demais, por ser preguiçosa... Não existe isso, pois, a obesidade não é algo controlável, É comprovado cientificamente que existem diversos outros motivos para que alguém seja gordo: fator hormonal, metabolismo lento, usa de medicamentos, predisposição genética…

10 Dicas para fugir de atitudes e comentários e ofensivos:

  • Não usar mais a palavra “gorda” como algo negativo.

  • Não tenha vergonha de se relacionar com uma mulher gorda. Confronte as críticas e seja firme.

  • Não use a característica física para identificar uma pessoa, falando coisas como: “fulano é aquele gordinho ali”; Evite termos como “fofinho”, “gordinho” ou “maiorzinho”.

  • Não critique a forma como as pessoas gordas se vestem

  • Não dê ibope para programas gordofóbicos. Pare de contar e de rir de piadas sobre pessoas gordas;

  • Não estereotipe a sexualidade das mulheres gordas. São mulheres, com desejo, com sexualidade.

  • Pense em espaços e produtos que atendam as pessoas gordas

  • Evite termos como “fofinho”, “gordinho” ou “maiorzinho”

  • Não julgue que alguém é incompetente, relaxado ou doente porque é gordo. Empregue pessoas gordas.

  • Não dê ibope para programas gordofóbicos. Pare de contar e de rir de piadas sobre pessoas gordas;

  • Humanize-se: Tenha empatia e aprenda a respeitar as diferenças. Seja mais humano.

Autoestima é importante!

Ter uma boa autoestima é ter amor próprio e nos aceitar como realmente somos. A autoestima nos dá a coragem de nos arriscarmos, de fazer aquilo que temos vontade e de sermos confiantes. Através da moda Plus Size, isso é influenciado. As mulheres crescem ouvindo que devem ser bonitas, magras e delicadas. Quando uma garota entra na adolescência e percebe não consegue alcançar esses padrões, sua autoestima pode ficar extremamente abalada. É essencial para o ser humano se sentir confortável em sua própria pele.

Recuperar a autoestima não é nada fácil, mas é importante não desistir e elogiar a si mesma todos os dias, até que um dia você realmente acredite naquilo. Comece vendo em você pontos positivo, Isso muda a tendência que temos em ver apenas os pontos negativos em nós mesmas e não precisa ser só adjetivos físicos, pode ter a ver com a sua personalidade também. A mídia também tem melhorado, hoje, temos influencers gordas isso mostra que você não está sozinha e que nem todo mundo é igual às blogueiras magras e fitness recomendo acompanha-las.

A psicóloga Lia Clerot.deixa um ensinamento mega importante:

Leia “Minha mãe fala que estou gorda” – como lidar com essa situação.

Amy Schumer é cotada para viver Barbie e desabafa sobre gordofobia.

5 youtubers gordas para seguir e entender melhor sobre gordofobia, padrões estéticos e empoderamento.

As mulheres gordas, juntas, estão deixando de lado o julgamento que a sociedade faz do que é um corpo belo e saudável para dizer: “sou gorda, sim, e sou maravilhosa. Eu existo”

Segundo a designer de moda e professora de gênero e diversidade da Ufba, Carol Barreto, a web e as plataformas de geração de conteúdo permitem que essas mulheres contem as suas próprias histórias e subvertam todo o discurso que os outros, a mídia, a moda e a geração fitness fazem sobre os seus corpos, sem a internet, pra ela, esse processo de afirmação não seria possível sem a internet.

Hoje, o mercado também caminha para a extinção desta diferença, existindo grupos contra a gordofobia, que defende o término de lojas segmentadas. As marcas de roupas começaram a enxergar a dificuldade das mulheres mais cheinhas em encontrarem roupas bonitas e confortáveis. Começaram então a investir mais no desenvolvimento de peças e coleções de tamanhos maiores.

 

Movimentos e ONG

 

ONG Tamo Juntas, que tem como Presidente e Advogada a BlogueiraVivian Vieira;

O Movimento Vai Ter Gorda atua na luta contra a gordofobia; promove ações de visibilidade e valorização dos diferentes padrões estéticos e humanos; e batalha pela construção de políticas públicas visando a inclusão das pessoas gordas na sociedade livre de preconceitos e estigmas”, diz a página do movimento.

Em 2017, a escola de samba Acadêmicos do Tucuruvi coroou a atriz Mariana Xavier como madrinha da ala plus size da escola de samba. A ala, chamada Plusamba, é um grupo composto apenas por mulheres gordas. Entre outros...

 

GORDIVA-Empodere-se!

 

 

O empoderamento é uma forma de trabalhar a autoestima e ensinar às mulheres que elas devem se valorizar. Ele incentiva o amor próprio, a aceitação e a descoberta da própria beleza.

A luta pelo empoderamento feminino ganhou força. As mulheres estão ficando mais conscientes e passando a entender que elas são muito mais do que números na balança e que a beleza é algo totalmente individual e está muito mais ligada à personalidade do que à aparência física ou seja, dá sim para ser linda e incrível sendo gorda! Afinal, uma coisa não tem nada a ver com a outra. Uma mulher pode se sentir bonita, confiante e segura de si independente de suas medidas.

Mudar é ter que enfrentar julgamentos e tem que ter coragem!

Gordivas, o maior ganho de mudança é a auto-estima pois, á mesma gera o“ empoderamento é na verdade assumir e acreditar em você mesmo, pois. “A beleza começa quando você decide ser você mesma” (Coco Chanel)

Finalizo com essa imagem da minha irmã Gêmeas Andreza Nascimento, minha inspiração para esse artigo, um exemplo de garra, determinação e coragem!!

 

 

Sempre fomos diferentes e desde criança ela sofreu inúmeros preconceitos e desde lá já ouvia comentários indesejável. “Nossa! Como são diferentes, ela é gordinha né?”

Olhares de reprovação não faltaram, mas ela venceu todos eles e hoje, ela sabe que, a beleza é algo totalmente individual e que por ter uns Kg á mais ela não pode deixar de se cuidar e ser feliz.

Acredito que muitas de vocês já passaram por momentos de não acreditar em si mesmas, de não se veem mais como uma linda mulher, a minha mensagem para vocês Gordivas é: Empodere-se!!! Se não pudermos reconhecer o nosso poder, como passar pelas dificuldades da vida? Todos tem o seu poder. Só precisamos descobri-lo e acreditar nele.

 

 

 

Please reload

Postagens Recentes

Atenção PRÉ CANDIDATOS

July 27, 2020

ABERTURA DE VAGA PARA ESTAGIO

July 20, 2020

Hospital de Campanha tem 179 recuperados e 43 internados

July 15, 2020

1/1
Please reload

Nossa Localização

O que achou do site?